sexta-feira, 8 de junho de 2012

Água Tu não és necessária à vida: tu és a própria vida!




              Tu não és necessária à vida: tu és a própria vida!

Água!
Tu não tens gosto, nem cor nem aroma.
Não podemos definir-te,
Saboreamos-te sem te conhecermos.
Tu não és necessária à vida: tu és a própria vida!
Tu penetra-nos dum prazer
Que não se explica pelos sentidos.
Contigo reentram em nós os poderes
Aos quais tínhamos renunciado…
Por tua graça,
Abrem –se em nós todas as fontes corrompidas do nosso coração
Tu és a maior riqueza que existe no mundo,
E és também a mais delicada,
Tu, tão pura no ventre da terra.
Pode-se morrer a dois passos dum lago de água salgada.
Pode-se morrer de dois litros de orvalho que alguns sais retêm em suspensão.
Tu não aceitas mistura alguma,
Tu não suportas alteração alguma,
Tu és uma desconfiada divindade…
Mas tu espalhas em nós
Uma felicidade infinitamente simples.
Extraído do livro Terra dos Homens, de Antoine de Saint-Exupéry
#Dia Mundial da Água


       Dia Mundial da Água 2012: A água e a segurança alimentar

MENSAGEM DO SECRETÁRIO-GERAL DA ONU PARA O DIA MUNDIAL DA ÁGUA 22 de março de 2012 A segurança alimentar da população global depende do uso sustentável do nosso recurso finito mais crítico: a água.

Água oceânica mais ácida ameaça 30% das espécies, diz estudo

Uma nova pesquisa indica que os oceanos do planeta continuam ficando cada vez maisácidos e que no ritmo atual cerca de 30% das espécies marinhas pode estar extinta até o final do século.
A água marinha está ficando mais ácida devido ao dióxido de carbono.
Cientistas da Universidade de Plymouth, na Inglaterra, examinaram a água abaixo dos vulcões, onde o dióxido de carbono ocorre naturalmente, para entender como a vida marinha lida com água mais ácida.
Segundo os pesquisadores, já nos próximos anos a água marinha começará a afetar alguns organismos, e alguns tipos de corais não conseguirão sobreviver.
Fonte: BBC Brasil


Escassez de água pode gerar conflitos no futuro, dizem especialistas

A escassez de água no futuro poderá aumentar os riscos de conflitos no mundo, afirmam especialistas que participam do Fórum Mundial da Água, em Marselha, na França.
Apesar da quantidade de água disponível ser constante, a demanda crescente em razão do aumento da população e da produção agrícola cria um cenário de incertezas e conflito, segundo os especialistas ouvidos pela BBC Brasil.
A OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) diz que a demanda mundial de água aumentará 55% até 2050.
A previsão é que nesse ano, 2,3 bilhões de pessoas suplementares – mais de 40% da população mundial – não terão acesso à água se medidas não forem tomadas.
“O aumento da demanda torna a situação mais complicada. As dificuldades hoje são mais visíveis e há mais conflitos regionais”, afirma Gérard Payen, consultor do secretário-geral da ONU e presidente da Aquafed, federação internacional dos operadores privados de água.
Ele diz que os conflitos normalmente ocorrem dentro de um mesmo país, já que a população tem necessidades diferentes em relação à utilização da água (para a agricultura ou o consumo, por exemplo) e isso gera disputas.
Problemas também são recorrentes entre países com rios transfronteiriços, que compartilham recursos hídricos, como ocorre entre o Egito e o Sudão ou ainda entre a Turquia e a Síria e o Iraque.

Brasil x Bolívia

O Brasil também está em conflito atualmente com a Bolívia em razão do projeto de construção de usinas hidrelétricas no rio Madeira, contestado pelo governo boliviano, que alega impactos ambientais.
Tanto no caso de disputas locais, que ocorrem em um mesmo país, ou internacionais, a única forma de solucionar os problemas “é a vontade política”, segundo o consultor da ONU.
O presidente da Agência Nacional de Águas (ANA) Vicente Andreu, que também participa do fórum em Marselha, acredita que hoje existe maior preocupação por parte dos governos em buscar soluções para as disputas.
“O problema dos rios transfronteiriços é discutido regularmente nos fóruns internacionais. Aposto na capacidade dos governos de antecipar os potenciais conflitos.”
Durante o fórum, que termina neste sábado, o Brasil defendeu uma governança global para a água e a criação de um conselho de desenvolvimento sustentável onde a água seria um dos temas tratados de maneira específica.
“A água está sempre vinculada a algum outro setor, como meteorologia, agricultura ou energia. Achamos que ela tem de ter uma casa própria para discutir suas questões”, diz Andreu.

Direito universal

Mulher coleta água no Mianmar. | Foto: ReutersONU diz que 800 milhões de pessas não tem acesso a água potavel
Na declaração ministerial realizada no fórum em Marselha, aprovada por unanimidade, os ministros e chefes de delegações de 130 países se comprometeram a acelerar a aplicação do direito universal à água potável e ao saneamento básico, reconhecido pela ONU em 2010.
No fórum internacional da água realizado na Turquia em 2009, esse direito universal ainda era contestado por alguns países.
Os números divulgados por ocasião do fórum mundial em Marselha são alarmantes. Segundo estudos de diferentes organizações, 800 milhões de pessoas no mundo não têm acesso à água potável e 2,5 bilhões não têm saneamento básico.
Houve, no entanto alguns progressos: o objetivo de que 88% da população mundial tenha acesso à água potável em 2015, segundo a chamada meta do milênio, já foi alcançado e mesmo superado em 2010, atingindo 89% dos habitantes do planeta.
Mas Gérard Payen alerta que o avanço nos números globais ocultam uma situação ainda preocupante.
“Entre 3 bilhões e 4 bilhões de pessoas não têm acesso à água de maneira perene e elas utilizam todos os dias uma água de qualidade duvidosa. É mais da metade da população mundial”, afirma.
Ele diz que pelo menos 1 bilhão de pessoas que têm acesso à água encanada só dispõem do serviço algumas horas por dia e que a água não é potável devido ao mau estado das redes de distribuição.
Segundo Payen, 11% da população mundial ainda compartilha água com animais em leitos de rios.
De acordo com a OMS, sete pessoas morrem por minuto no mundo por ingerir água insalubre e mais de 1 bilhão de pessoas ainda defecam ao ar livre.
Fonte: BBC Brasil

Dia Mundial da Água abordará Segurança Alimentar


Mesmo com a grande pressão exercida sobre os recursos hídricos, o mundo terá que consumir mais água para atender à demanda de alimentos de uma população crescente. Pensando nisso, a ONU escolheu o tema da segurança alimentar para o Dia Mundial da Água de 2012

Estima-se que o consumo diário de água por pessoa seja de dois a quatro litros. Mas a maior quantidade que “bebemos” vem de dentro dos alimentos. A produção de um quilo de trigo, por exemplo, consome 1.500 litros de água, segundo dados da FAO – Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação*. O órgão também aponta que aproximadamente um bilhão de pessoas no mundo sofre de fome crônica, enquanto as pressões sobre os recursos hídricos aumentam.
Para promover discussões sobre o desafio de garantir o acesso a alimentos nutritivos para a população mundial crescente e ao mesmo tempo racionalizar o consumo da água, a ONU escolheu para o Dia Mundial da Água, comemorado no dia 22 de março, o temaSegurança Alimentar. O vídeo abaixo mostra por que este recurso natural é tão importante para a nossa alimentação, com exemplos da quantidade de água necessária para produzir outros alimentos:
A campanha da FAO para o Dia Mundial da Água de 2012 procura mostrar que é possível tomar medidas, desde a produção até o consumo final, para conservar a água e garantir o fornecimento de alimentos para todos. Eis algumas recomendações da organização:
  •  consumir produtos que façam uso menos intensivo de água;
  •  reduzir o grande desperdício de alimentos, já que 30% dos alimentos produzidos em todo o mundo não são consumidos e a água usada para produzi-los se perde;
  •  produzir mais alimentos, de melhor qualidade e com menos água, e
  •  levar uma alimentação saudável.

Doze Princípios do Consumidor Consciente

image

 “Devemos ser a mudança
que queremos ver no mundo”
Mahatma Gandhi


Uma nova consciência planetária deve começar nas escolhas concretas que fazemos em nossas ações diárias. Por isso, o Instituto Akatu propõe 12 princípios norteadores do consumo consciente que, aplicados em nosso cotidiano, são capazes de trazer sustentabilidade à humanidade.
Como aposto em você, e você aposta num mundo melhor, tenho certeza que esses princípios vão ser usados em suas escolhas cotidianas.
1 Planeje suas compras
Não seja impulsivo nas compras. A impulsividade é inimiga do consumo consciente. Planeje antecipadamente e, com isso, compre menos e melhor.
2 Avalie os impactos de seu consumo.
Leve em consideração o meio ambiente e a sociedade em suas escolhas de consumo.
3 Consuma apenas o necessário
Reflita sobre suas reais necessidades e procure viver com menos.
4 Reutilize produtos e embalagens
Não compre outra vez o que você pode consertar, transformar e reutilizar.
5 Separe seu lixo
Recicle e contribua para a economia de recursos naturais, a redução da degradação ambiental e a geração de empregos.
6 Use crédito conscientemente
Pense bem se o que você vai comprar a crédito não pode esperar e esteja certo de que poderá pagar as prestações.
7 Conheça e valorize as práticas de responsabilidade social das empresas
Em suas escolhas de consumo, não olhe apenas preço e qualidade.Valorize as empresas em função de sua responsabilidade para com os funcionários, a sociedade e o meio ambiente.
8 Não compre produtos piratas ou contrabandeados
Compre sempre do comércio legalizado e, dessa forma, contribua para gerar empregos estáveis e para combater o crime organizado e a violência.
10 Divulgue o consumo consciente
Seja um militante da causa: sensibilize outros consumidores e dissemine informações, valores e práticas do consumo consciente. Monte grupos para mobilizar seus familiares, amigos e pessoas mais próximas.
11 Cobre dos políticos
Exija de partidos, candidatos e governantes propostas e ações que viabilizem e aprofundem a prática do consumo consciente.
12 Reflita sobre seus valores 
Avalie constantemente os princípios que guiam suas escolhas e seus hábitos de consumo.
Consumo consciente: adote esta causa!
Pequenos gestos, grandes tranformações!

Abatido pelo plástico

Estômago de filhote de albatroz cheio de lixo: um terço deles é vítima dos detritos que as correntes arrastam para o meio do Oceano Pacífico e que são levados para o ninho como comida
Em pleno Oceano Pacifico, a mais de 3 000 quilômetros de distancia de qualquer continente, sem uma única fabrica ou cidade por perto, numa reserva de vida selvagem administrada pelos Estados Unidos, o plástico jogado no lixo causa uma devastação: ao ingeri-lo, filhotes de albatroz morrem aos milhares, engasgados, envenenados ou desnutridos. 
Trata-se das Ilhas Midway, uma estreita faixa de areia e corais que serve de abrigo a 2 milhões de albatrozes e que, para infortúnio deles, fica próximo ao que se convencionou chamar de “lata de lixo do Pacifico” — um ponto no oceano para onde convergem correntes marítimas que, na passagem por grandes centros urbanos, arrastam todo tipo de lixo descartado indevidamente. Ao vasculharem o mar atrás de alimento, os albatrozes de Midway confundem lixo com comida. Parte eles engolem (uma pesquisa mostrou que todas as aves trazem algum tipo de plástico no corpo), parte levam de volta aos filhotes, resultando no que se vê no estomago da ave na foto desta pagina. 
Calcula-se que um terço dos filhotes morra por causa disso. Para documentar a tragédia, o fotografo americano Chris Jordan pode visitar a reserva de Midway durante um mês em 2009. Ao longo do trabalho, manteve-se, segundo afirma, totalmente fiel as imagens que encontrou: “Nem um único pedaço de plástico nas fotos foi movido, colocado, manipulado, ajeitado ou alterado de alguma forma”. Em outras palavras, poluição em estado bruto.
Texto extraído do site: Planeta Sustentável
Precisamos repensar urgentemente nos nossos valores, principalmente nas nossas atitudes perante o meio ambiente.
Um simples ato de jogar sacolas, embalagens plásticas em locais inapropriados, pode ocasionar sérios problemas aos seres vivos que habitam tal região, levando-os a morte, como constatado na foto acima.
  Antes de praticar tal ato pense na quantidade de seres que morrerão devido a uma sacola ou embalagem esquecida/deixada na proximidades de uma praia, ou até mesmo de um rio, açude, lago e etc.
Simples gestos fazem toda a diferença!
Reutileze, Reuduza e Recicle!

10 jeitos de usar casca de ovo

Composta basicamente de cálcio, a “embalagem” desse alimento serve para proteger a parte interna, onde se desenvolve o embrião. Em vez de jogar a casquinha fora depois de preparar o ovo, guarde-a para utilizá-la no jardim, na limpeza, na cozinha e até na decoração

ovos-001

CONFIRA A SEGUIR DEZ DICAS INUSITADAS DESSA MARAVILHA DA NATUREZA!
1. Mosaico diferente
Se você gosta de fazer arte em casa, esmague cascas de ovos – antes lave-as e seque-as no forno – em pedacinhos pequenos e cole-os na tampa de uma caixa de madeira, formando um grande mosaico. Depois, é só colorir tudo com tinta plástica.
2. Decoração de festa
Que tal pintar ovos e recheá-los com confete de chocolate para dar como lembrança de Páscoa, aniversário, chá de bebê…? Fure uma das extremidades da casca com agulha e, com cuidado, abra uma pequena tampa na outra ponta. Assopre pelo buraco menor para que a clara e a gema saiam pela abertura do outro lado. Higienize o interior com água e sabão e seque a casca no forno. Daí é só preencher com os confetes, fechar a abertura com papel de seda e decorar com canetinha colorida, tinta, glitter…
3. Controle de pragasPara impedir que lesmas e lagartas ataquem seus vasos, espalhe cascas de ovos esmagadas na terra, ao redor das plantinhas. O cálcio do invólucro do ovo mudará rapidamente o pH (índice de acidez) do solo, tornando-o menos ácido e afastando os bichinhos. Assim você evita o uso de pesticidas químicos!
4. Café menos ácidoDuas substâncias presentes nos grãos – o ácido clorogênico lactonas e o fenil indane – provocam acidez, que muitas vezes ataca estômagos mais sensíveis. Para neutralizá-la, use o pH alcalino da casca do ovo. Basta colocar uma casca (limpa) no filtro da cafeteira. A bebida não perde o sabor.
5. Abrasivo ecológico
Pense em quantas palhas de aço vão para o lixo diariamente e poluem o planeta. Pois cascas de ovos limpas e esmagadas substituem com eficiência esse produto na hora de limpar panelas e frigideiras. Basta colocar um punhado na esponja já ensaboada.
6. Sementeiras práticas
Se você gosta de ter à mão temperos frescos, experimente usar a casca de ovo como sementeira no seu jardim. Preencha metade de várias cascas com terra, coloque dentro a semente desejada e plante-as. Como as cascas são biodegradáveis (ao contrário dos potes plásticos), a muda fica em contato direto com o solo depois para crescer.
7. Terra superfértil!
A compostagem (decomposição de resíduos orgânicos, como restos de vegetais e legumes crus, que depois são transformados em nutrientes para a terra) é o método mais eficiente para reduzir o lixo doméstico. As cascas de ovos degeneram-se rapidamente numa pilha de compostagem, contribuindo com cálcio e outros minerais valiosos para o solo. Suas plantinhas ficarão mais fortes e bonitas!
8. Moldes para gelatina
Torne mágica a hora da sobremesa. Fure uma das extremidades da casca do ovo com agulha e, cuidadosamente, abra uma pequena abertura na outra ponta. Assopre o buraquinho menor para que a clara e a gema saiam do outro lado. Limpe o interior com água e sabão e seque a casca no forno. Agora preencha-a com o líquido da gelatina e feche o furinho menor com esparadrapo. Coloque o “recipiente” em pé na caixa de ovo e leve à geladeira para a gelatina endurecer. Retire o esparadrapo antes de servir (as crianças devem quebrar o “ovo” na hora de comer).
9. Lâminas afiadas
De tempos em tempos, triture algumas cascas de ovo (lave-as e coloque-as no forno para secar) no liquidificador. O atrito delas com as lâminas deixa o metal afiado. E não jogue fora o pó que se formou – guarde-o num vidro em temperatura ambiente. Rico em cálcio, ele pode ser misturado na farinha de bolos e pães (basta uma pitada) para complementar a necessidade do mineral na alimentação.
10. Alívio para picadas
Se você ou alguém da família passa o verão sofrendo com a alergia causada por picadas de mosquito, tenha sempre à mão esta receitinha natural, que alivia a vermelhidão e a coceira. Lave, seque e esmague a casca de ovo e deixe-a de molho por 2 dias num pequeno frasco de vinagre de maçã. Passe a solução na área afetada três ou mais vezes ao dia. Durante o molho no vinagre, forma-se o sal acetato de cálcio que, ao cristalizar, esquenta a pele trazendo sensação de conforto.

As árvores e a humanidade

“O grande francês Marshall Lyautey uma vez pediu ao seu jardineiro para plantar uma árvore. O jardineiro reclamou que árvore demoraria a crescer e não alcançaria maturidade por 100 anos. O Marshall respondeu ‘Neste caso, não há tempo a ser perdido, plante-a esta tarde!’”
John F. Kennedy


Tu não és necessária à vida: tu és a própria vida!

Água!
Tu não tens gosto, nem cor nem aroma.
Não podemos definir-te,
Saboreamos-te sem te conhecermos.
Tu não és necessária à vida: tu és a própria vida!
Tu penetra-nos dum prazer
Que não se explica pelos sentidos.
Contigo reentram em nós os poderes
Aos quais tínhamos renunciado…
Por tua graça,
Abrem –se em nós todas as fontes corrompidas do nosso coração
Tu és a maior riqueza que existe no mundo,
E és também a mais delicada,
Tu, tão pura no ventre da terra.
Pode-se morrer a dois passos dum lago de água salgada.
Pode-se morrer de dois litros de orvalho que alguns sais retêm em suspensão.
Tu não aceitas mistura alguma,
Tu não suportas alteração alguma,
Tu és uma desconfiada divindade…
Mas tu espalhas em nós
Uma felicidade infinitamente simples.
Extraído do livro Terra dos Homens, de Antoine de Saint-Exupéry
#Dia Mundial da Água


Nenhum comentário:

Postar um comentário