segunda-feira, 4 de junho de 2012

RECICLAGEM DE CONCRETO SÃO JOÃO SOROCABA tel:15)3325-4433


Reciclagem de concreto 






Os empreendimentos de reciclagem de resíduos da construção civil não atingiram seu ápice. Embora a atividade seja extremamente necessária para os dias de hoje, a coleta e reciclagem de RCD está intimamente ligada a demolição. Não é de conhecimento da população, bem como dos órgãos públicos e seus administradores, na grande maioria acreditam que o material inerte não tem nenhuma serventia ou condição de reciclagem. O pensamento sobre a questão é bastante limitado e ainda sofre com “pré-conceitos”. O desconhecimento dessa atividade é fruto da incapacidade das empresas em desfrutar da questão ambiental e a insuficiência de recursos das mesmas para divulgar e expandir suas instalações. Contudo, a capacidade limitada juntamente com a relação gêmea com o setor de demolição, gera uma dificuldade no domínio da logística. Assim, há, como conseqüência, problemas para se integrar com elos da cadeia produtiva – caçambeiros, prefeituras e grandes obras. A reciclagem dos resíduos, quase a metade, é feita em loco, no local da demolição ou construção, pelo simples fato de reduzir drasticamente o custo do processo. Existem outros fatores que também valem apena comentar: O mercado de RCD não conta com uma associação ou sindicato de representação com empresas recicladoras de entulho como associadas. Isso faz com que diversas associações, tais como de imobiliárias, concreto, construção e de resíduos sólidos representem o setor sem ouvir os players atuantes no mercado e sem entender a dinâmica da reciclagem deste resíduo. A representação do segmento por uma associação que congregasse as empresas privadas atuantes nesse mercado faria com que a relação das organizações com o setor público fosse eficaz e pragmática.



Mais de 90% dos resíduos provenientes de construções civis podem ser reciclados, reutilizados e transformados em agregados com características bastante semelhantes ao produto original, a partir de matérias-primas com custo muito baixo. É possível reciclar qualquer concreto, desde que seja escolhido o uso adequado e se respeitem as limitações técnicas. As centrais de reciclagem contam com máquinas semelhantes às de mineradoras, como esteiras rolantes, britadores, peneiras e classificadores de granulometria. Apenas os concretos com substancias contaminantes, podem trazer prejuízo às propriedades do concreto no estado fresco e endurecido, e não devem ser utilizados como matéria-prima. Equipamentos diferentes reciclam o concreto fresco e o endurecido. Para o concreto fresco são usados lavadores que separam agregados graúdos dos miúdos. Para o endurecido, britadores de mandíbula ou de impacto, decompõem estes materiais. O entulho é separado, britado, lavado, peneirado e classificado. É também facilitada a segregação entre resíduos cimentícios e cerâmicos. Devido ao menor volume de materiais, a técnica de reaproveitamento na própria obra exige equipamentos sofisticados. Nesses casos, devido à menor homogeneidade do material processado, recomenda-se o reaproveitamento como agregado para revestimento ou argamassa de assentamento. O procedimento é simples: o material é encaminhado por dutos a uma mini-central de processamento, onde é triturado para ser normalmente utilizado como agregado. É possível também utilizar um moinho de rolo para a trituração. Agregados reciclados provenientes de concretos estruturais apresentam melhor qualidade em relação aos agregados provenientes de tijolos cerâmicos e argamassas e podem ser usados em aterros de inertes, obras de pavimentação, agregados para argamassas e até concretos estruturais. No caso de concreto estrutural, é preciso maior acuidade para dosar e especificar o material reciclado, a mistura entre o agregado reciclado e o agregado normal traz bons resultados.

Produtos obtidos na reciclagem 

Grandes pedaços de concreto podem ser aplicados como material de construção para prevenção de processos erosivos na orla marítima e das correntes, ou usado em projetos como desenvolvimento de recifes artificiais. O entulho triturado pode ser utilizado em pavimentação de estradas, enchimento de fundações de construção e aterro de vias de acesso. É possível produzir agregados – areia, brita e bica corrida para uso em pavimentação, contenção de encostas, canalização de córregos, e uso em argamassas e concreto. Da mesma maneira, pode-se fabricar componentes de construção – blocos, briquetes, tubos para drenagem e placas. Os principais resultados produzidos pela reciclagem doentulho são benefícios ambientais. Os benefícios são conseguidos não só por se diminuir a deposição em locais inadequados, como também por minimizar a necessidade de extração de matéria-prima em jazidas. As experiências indicam que é vantajoso economicamente substituir a deposição irregular do entulho pela reciclagem. Estima-se que o custo da reciclagem significa 25% desses custos. A produção de agregados com base no entulho pode gerar economias de mais de 80% em relação aos preços dos agregados convencionais.


Reciclagem de tijolos
De fácil montagem e a um custo bem menor, os tijolos ecológicos, fabricados a partir do lixo industrial, possuem quase o dobro de resistência que os tijolos comuns. O aproveitamento dos tijolos vai mais além, se for transformado em pó, o tijolo substitui parcialmente o cimento, que é considerado um material muito poluente. Outra forma barata de se produzir material de construção é substituir o “tijolo cozido”, pelo de “terra crua”. A fabricação dispensa o uso de forno à lenha e durante o processo de fabricação não há desmatamento e nem queima de carvão, não lançando resíduos tóxicos no meio ambiente, esses são os chamados tijolos recicláveis, que são obtidos a partir da mistura de tipos de solo com cimento e água. Depois de misturados os elementos, a mistura é compactada em até 12.000 kg de pressão. Finalmente curada e secada. Os tijolos ecológicos possuem resistência superior à exigida pelas Normas Técnicas.


Reciclagem de concreto Veja quando vale a pena reciclar concreto e como fazer

Além das vantagens econômicas e ecológicas, o reaproveitamento garante benefício técnico: pode substituir até 25% dos agregados convencionais por reciclados sem alterar as propriedades mecânicas
Com a reciclagem de concretos é possível obter agregados com características bastante semelhantes ao produto original, a partir de matérias-primas com custo muito baixo. A contribuição para o meio ambiente também é grande, já que se deixa de extrair o montante de 1.560 mil m3 de matéria-prima por ano, só no Município de São Paulo. O descarte de resíduos de construções também ocorre em grande quantidade. Estimativas do Limpurb (Departamento de Limpeza Urbana) da Prefeitura de São Paulo indicam que são recolhidos por mês cerca de 144 mil m3 de entulho na capital paulista - número que chega a triplicar, segundo estimativas extra-oficiais. Desses materiais descartados, 65% são constituídos de produtos inertes como argamassas, concretos e telhas, possíveis de serem reciclados.


Estima-se que até 10% de todo o material entregue no canteiro de obras é desperdiçado devido à compra em excesso, deficiência no processo de construção, imprecisões ou omissões na elaboração e execução dos projetos, perdas no transporte e armazenamento. Mais de 90% desses resíduos podem ser reciclados e reutilizados. Apenas os concretos com substâncias contaminantes, como sulfato de cálcio, cloretos e óleos podem trazer prejuízo às propriedades do concreto no estado fresco e endurecido, e não devem ser utilizados como matéria-prima.


Os países europeus, devido à pouca quantidade de material primário, tendem a reciclar mais os entulhos. "A Holanda, Bélgica e Dinamarca, que reciclam mais de 90% dos resíduos, precisam importar areia da Sibéria e entulho da Inglaterra", diz Paulino E. Coelho, professor de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Urbanos e Industriais, Programa de Educação Continuada em Engenharia, da Poli-USP. O Brasil, onde as técnicas de reciclagem de concreto começaram há cerca de 20 anos, recicla menos de 5% do entulho. A questão tem se limitado aos grandes núcleos urbanos, onde a geração de resíduos encontra problemas crescentes de deposição. Com os locais de depósito cada vez mais escassos, o problema já preocupa os ambientalistas. "É pouco inteligente ocupar áreas valorizadas ou de preservação com um material que pode ser reutilizado", diz Élcio Duduche Careli, diretor da Obra Limpa. "O consolo é que no futuro o gasto com o envio do material para aterro aumentará, e os custos da reciclagem se tornarão mais viáveis", APOSTANDO NESTA IDEIA A CASA DE MATERIAIS PARA CONSTRUÇÕES SÃO JOÃO DE SOROCABA HOJE TEM SUA USINA DE RECICLAGENS DE ENTULHOS, TODO O MATERIAL RECOLHIDO PELO SEU PRÓPRIO SERVIÇO DE DISK CAÇAMBA E REAPROVEITADO E TRANSFORMADO EM MATERIAIS QUE PODEM VOLTAR PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL.


TRAZENDO BENEFÍCIOS SUSTENTÁVEIS A NATUREZA ASSIM DEIXA DE SER RETIRADA DA NATUREZA


NOVOS RECURSOS,E TAMBÉM DEIXA DE SER LANÇADO NA NATUREZA MAIS AGRESSORES.


COM ATITUDES COMO ESTA QUE ACOMPANHAMOS É POSSIVEL TER LUCROS E PRESERVAR O MEIO AMBIENTE. O FUTURO DO PLANETA AGRADECE.



VIDEOS RELACIONADOS







Nenhum comentário:

Postar um comentário